Portos e Terminais
Segurança na Navegação - Terminal Outeiro
 

› Terminal Portuário de Outeiro


a) Estabelecimento do calado

No Terminal de Outeiro, o calado máximo recomendado será limitado pela passagem à jusante da ilha Jutuba, onde se prumam 12,50m (41,0 pés) na preamar e 10,50m (34,4 pés) na baixa-mar.

A profundidades no canais de acesso ao terminal são: Canal do QUIRIRI: 13,0m (42,6 pés) e Canal do ESPADARTE (Baixo do Taipu):12,20m (40,0 pés) na preamar.

O Calado para o fundeadouro de Icoaraci é de 10,67m (35,0 pés).

O Calado para os fundeadouros de Val-de-Cães e Minas Gerais é de 7,92m (26,0 pés).

O Terminal possui dois píeres, sendo o píer 100 (navios) e o píer 200 (barcaças), onde as profundidades médias nos berços sem acréscimo de maré são:

- Berço 101:                         Prof.= 11,80m;

- Berço 102:                         Prof.=    6,80m;

- Berço 201:                         Prof.=    4,20m;

- Berço 202:                         Prof.=    3,20m (não operacional);

Deve haver consulta permanente à Autoridade Portuária quanto às atuais profundidades.

 

b) Canal de Acesso

A principal entrada fluvial ao terminal de Outeiro é o canal do Mosqueiro, com largura média da ordem de 1.000m com profundidades variando de 10,50m a 22,0m. A bacia de evolução está localizada em frente ao terminal, possuindo 1.350m de comprimento por 1.250m de largura.

 

c) Velocidade no Canal de Acesso

A velocidade de trânsito no canal de acesso deve ser adequada ao crescimento da maré naquele instante, a fim de eliminar o efeito de afundamento do navio ("squat") em águas rasas, garantindo o fator de segurança mínimo de 1,4 m em relação ao fundo.

A velocidade, no fundo, no canal de acesso não deverá ser superior a 8 nós. Na aproximação para atracação deverá ser utilizada a velocidade de 4 nós.

 

d) Comprimento máximo do navio

As dimensões autorizadas para os berços do porto:

 

d.1) Píer 100 - navios:

- Berço 101: 200,0m;

- Berço 102: 160,0m;

O porte bruto máximo dos navios no berço 101 até 40.000 TPB e no berço 102 até 16.000 TPB.

 

d.2) Píer 200 - barcaças:

- Berço 201: 85,0m;

- Berço 202: 85,0m;

O porte bruto máximo das barcaças nos berços é até 2.700 TPB.

 

 

 

e) Boca do navio

A boca dos navios atracados ao Porto de Belém não é limitada. Entretanto, não é permitida a atracação de navio a contrabordo de outro navio atracado no porto.

 

f) Manobras recomendadas

- Berço externo (101): atracação por BE com corrente da enchente. A desatracação também deverá ser realizada com corrente de enchente;

- Berço interno (102): atracação por BB com corrente da enchente. A desatracação também deverá ser realizada com corrente de enchente;

- É obrigatória a utilização de lanchas apropriadas, dotadas de VHF, para alar as espias;

- Em quaisquer casos, deverão ser observadas as condições reinantes de vento.

 

g) Carta de Navegação

O porto e seus acessos constam das cartas DHN-303 e 316, devendo ser consultado o roteiro, capítulo V da NPCP, bem como observadas as informações divulgadas nos Avisos aos Navegantes.

 

h) Fundeadouros

Áreas de fundeio estabelecidas nas Normas e Procedimentos da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental – NPCP/2006, constante na Carta Náutica nº 316:

 

I) Fundeadouro – Para navios aguardando atracação ou em operação de carga ou descarga.

 

a) LAT 01°16,09'S LONG 048°30,48'W;

b) LAT 01°16,09'S LONG 048°30,00'W;

c) LAT 01°17,06'S LONG 048°30,00'W;

d) LAT 01°17,06'S LONG 048°30,48'W;

 

i) Balizamento

- Sinais náuticos estão contidos na Lista de Faróis - Costa Norte e Carta Náutica nº 316 da DHN.

 

j) Serviços de rebocadores

- Não é obrigatório o uso de rebocadores para auxiliar na atracação/desatracação de embarcações.

 

k) Informações complementares sobre Hidrografia e Meteorologia

A região é sujeita a marés semidiurnas com influência de vento e chuvas, originando amplitudes máximas da ordem de 3,7 m e correntes da ordem de 3,5 nós, que perduram por até duas horas após o clímax das marés.

Os ventos são, em geral, moderados e a visibilidade boa, exceto por ocasião dos aguaceiros equatoriais que podem ser precedidos de fortes ventanias e causam queda acentuada de visibilidade.

 

l) Dimensões do Porto

O terminal possui duas instalações acostáveis (píeres), em forma de "L", interligadas a uma única ponte de acesso, conforme descrição abaixo:

 

l.1) Ponte de acesso:

 

- Comprimento total:

 C = 336,00 m;

- Trecho ao píer 100:

 C = 192,00 m ; L = 3,60 m;

- Trecho ao píer 200:

 C = 144,00 m ; L = 7,00 m

 

 

l.2) Pier 100 - navios:

 

- Dimensões:

 C = 261,00 m; L = 16,50 m;

- Berço 101:

 C = 261,00 m;

- Berço 102:

 C = 250,00 m;

 

 

l.3) Pier 200 - barcaças:

 

- Dimensões:

C = 175,00 m; L = 23.50 m;

- Berço 201:

C = 175,00 m;

- Berço 202:

C = 159,80 m;