Portos e Terminais
Terminal de Outeiro
 

Localização

Latitude:               01° 16' 40.8" S

Longitude:           48° 28' 39.0" W

O Terminal Portuário de Outeiro é uma extensão do porto organizado de Belém, situado na Ponta do Redentor, na Ilha fluvial de Caratateua ou Outeiro distrito de Belém, Estado do Pará, no estuário do rio Guajará-Açú, à margem direita da baía do Guajará a uma distância fluvial de 19 km do Porto de Belém.



Acessos

Acessos Rodoviários: a partir da Estrada do Outeiro até a rodovia BL-010 ou rua da Balsa onde se situa o terminal.

Acesso fluvio-marítimo: da foz do rio Pará, que deságua no Atlântico, e deste através do Canal do Mosqueiro até a baía do Guajará onde se situa o terminal.

 


Histórico

O terminal portuário de Outeiro, antigo porto da Sotave, localiza-se na Ponta do Redentor, na Ilha fluvial de Caratateua ou Outeiro distrito de Belém, Estado do Pará, no estuário do rio Guajará-Açú, à margem direita da baía do Guajará a cerca de 19 km do Porto de Belém. O terminal começou a ser construído, no início da década de 80, pela empresa de adubos químicos SOTAVE – Amazônia Química e Mineral S/A a fim de funcionar como porto de importação e exportação de granéis sólidos para atender à movimentação de fertilizantes a serem produzidos em instalações da própria empresa, mas isso não aconteceu, sendo então desapropriado em 1988 pela extinta Portobrás.

Antes de ser concluído, teve as obras paralisadas por quase 20 anos, as quais foram retomadas somente em 2002, pela Companhia Docas do Pará, atual gestora do terminal, sendo então inaugurado e alfandegado em julho de 2004.

 


Instalações

O Terminal Portuário do Outeiro abrange uma área territorial de 313.826,24 m². Seu território é constituído de vias de tráfego asfaltadas e iluminadas disponíveis à utilização para movimentação de cargas.

Estruturas de acostagem: possui duas instalações acostáveis (píeres), interligadas a uma única ponte de acesso, sendo executada toda em concreto armado apresentando em sua infraestrutura, estacas de concreto armado pré-moldadas.

Píer 100 – Navios: construído na extremidade da ponte de acesso, em forma de "L", possui dois berços de atracação 101 e 102 para receber navios de até 40.000 TPB e 16.000 TPB, respectivamente, sendo destinados a realizar operações com carga geral e granel sólido. O píer foi projetado para sobrecarga de 4,0 t/m², cabeços de amarração com capacidade para 100 t e 60 t instalados nos berços 101 e 102, respectivamente.

Píer 200 – Barcaças: construído no trecho intermediário da ponde de acesso e paralelo ao píer 100, possui dois berços de atracação 201 e 202 para receber embarcações de até 2.700 TPB, sendo destinados a realizar operações com carga geral e granel sólido. O píer foi projetado para sobrecarga de 2,5 t/m², cabeços de amarração com capacidade para 25 t instalados nos berços.

 


Armazenagem

Armazém: constituído por sete galpões geminados medindo 21,50m x 105,00m, perfazendo uma área total construída de 19.560m² , capacidade de carga de aproximadamente 300 t e altura de fuste igual a 3,10m. A fachada dos seis galpões centrais é composta por um acréscimo de área coberta com o mesmo tipo de construção destinado à área de carga e descarga, dotada de plataforma elevada e acesso para carretas, com aproximadamente 1.500m². No interior do armazém encontra-se dois prédios administrativos de três pavimentos, medindo 10,00m x 37,50m e 10,00m x 16,00m, com áreas total de 480m² e 1.125m² cada um.

Pátios de Armazenagem 03, 04, 05 e 06: áreas retangulares com 10.200m² cada uma, localizam-se em sequência ao armazém, com afastamento deste de 24,50m e 14,50 entre elas.

Pátios de Armazenagem 02 e 01: áreas retangulares com 9.800m² cada uma, localizam-se em sequência ao armazém nº 03, com afastamento deste de 14.20m, sendo a mesma recuada lateralmente de 12.50m em relação ao alinhamento das demais áreas.

 


Informações operacionais

A legislação dos portos institui responsabilidades, cabendo à Autoridade Marítima coordenar o estabelecimento de limitações operacionais nos portos e terminais de sua jurisdição e as Administrações dos Portos ou Terminais cabe fixar o limite da área sob sua responsabilidade para efeito de divulgação dos calados máximos recomendados, nos acessos e velocidade de trânsito, bem como divulgar informações de dragagem e balizamento.

Parâmetros técnicos para segurança da navegação e das operações portuárias.

Segurança na Navegação

 


Movimentação de Carga

O Terminal Portuário de Outeiro tem sua vocação voltada para a operação com graneis sólidos e carga geral. O terminal realiza também, operações de transbordo de carga em apoio ao Porto de Belém em conformidade com o Regulamento de Exploração dos Portos-REP.

É um terminal "estratégico" por sua localização, pois representa área de expansão natural do porto de Belém, por dispor de maiores profundidades e terrenos amplos e de baixo custo para a implantação de novos terminais especializados.

Estatística

 


Operadores portuários

Relação dos operadores portuários qualificados a atuarem nos portos da CDP.

Operadores Portuários

 


Contato

Administrador do Porto

João Augusto Lobato

E-mail:

jlobato@cdp.com.br

Supervisor do Porto

Rita de Cássia M. Evangelista

E-mail:

rita@cdp.com.br

CNPJ

04.933.552/0001-03

Ilha de Caratateua, Estrada BL 10 – Icoaraci / Pará

Bairro: Brasília - Outeiro - CEP.: 66845-840

Tel.: (91) 3215-3900