ANTAQ REALIZARÁ PROJETO DE COLETA SELETIVA EM SANTARÉM.
 

Entre os dias 27 e 29 de julho, a ANTAQ realizará, em parceria com a Companhia Docas do Pará (CDP), a primeira ação do "Projeto de Coleta Seletiva nas Embarcações de Passageiros da Navegação Interior na Região Amazônica", em Satarém (PA), com o intuito de reduzir os impactos ambientais causados pelos resíduos no município.

Santarém será a primeira a receber as ações locais previstas no projeto, onde acontecerá também o "I Encontro da Navegação Sustentável na Amazônia". O evento será no Instituto Esperança de Ensino Superior (Iespes), no dia 27 de julho, e contará com a participação de representantes da CDP, da Prefeitura de Santarém e de diversos órgãos e autarquias do Governo Federal, com foco nos proprietários de embarcações e a comunidade acadêmica.

No dia 28 de julho, será realizada uma caminhada em Santarém. As inscrições serão feitas por meio do portal da ANTAQ e mediante a doação de 1kg de alimento não-perecível. Ainda no mesmo dia, serão feitas ações educativas no Porto de Santarém em embarcações que prestam serviços de transporte misto na rota Belém-Santarém-Manaus. Haverá, ainda, oficinas temáticas.

O projeto visa sensibilizar os donos de embarcações, tripulação, passageiros e outros atores intervenientes nessa gestão dos resíduos gerados nas embarcações, buscando estabelecer estratégias adequadas para a sua coleta, separação e destinação.

A Região Amazônica possui um intenso fluxo de passageiros na navegação. Por ano, são transportados em média nove milhões de passageiros nos seus cerca de 17 mil quilômetros de vias economicamente navegáveis. Esse grande fluxo de passageiros tem como consequência a significativa geração de resíduos, os quais muitas vezes são descartados de forma inadequada, poluindo rios, matas e as zonas urbanas.

Para o gerente de Meio Ambiente e Sustentabilidade da ANTAQ, Marcos Maia Porto, o tratamento dos resíduos originários de embarcações é um aspecto desafiador por fatores particulares da Região Amazônica, como sua dimensão, a característica peculiar do transporte aquaviário, a relação passageiro/carga, as condições adversas de transferência desses passageiros e de sua carga para terra e vice-versa.

Conforme Porto, a melhora no manuseio de resíduos de embarcações dessa região é um ganho inestimável para a Agência. "Nesse enfrentamento, a Agência não está sozinha, mas acompanhada de outros agentes públicos e privados, num esforço partilhado visando o sucesso da empreitada." Porto destaca: "A modificação desse cenário irá requerer uma parcela de educação ambiental, a partir de uma conscientização do passageiro a partir das recompensas auferidas por todos com a melhora desse processo de coleta, transporte e destinação de resíduos. Trata-se de uma qualidade ambiental adquirida que a Amazônia e todos nós merecemos."

O projeto contemplará Santarém nesta fase inicial e, posteriormente, será realizado em Belém, no final do ano, e em Manaus (AM), em 2018. Há estudos para ampliá-lo ainda mais, considerando que essa ação em Santarém se reveste de um caráter de projeto-piloto.

Hotsite do evento
Programação do evento em PDF
Inscreva-se para o I Encontro da Navegação Sustentável da Amazônia
Inscreva-se para as oficinas do I Encontro da Navegação Sustentável da Amazônia